Ponha Fé em Deus

Ponha a Fé em Deus.

Texto: Romanos 4:3 e 18-21.

Introdução:
A maioria das pessoas apóia a sua confiança nas suas habilidades e possibilidades, mesmo q

uando não tem tudo que é necessário para conseguir o que querem, crêem na sua capacidade de conseguir parcerias para ter o que querem. Quando colocamos nossa esperança só em nossas possibilidades limitamos demais o que podemos alcançar.
Um exemplo claro de alguém que foi além de suas possibilidades é Abraão. A Bíblia diz que ele e sua esposa, Sara, geraram um filho em idade avançada, quando já tinham deixado de ser férteis, mas isso só aconteceu porque confiaram em Deus. Você quer conquistar coisas aparentemente impossíveis? Se quisermos isso:

1)Precisamos crer em Deus.

Crer é acreditar sem sombra de dúvida, sem insegurança e ques

tionamento. A maioria não consegue isso. Se não consegue crer em Deus seja sincero(a) com Ele e peça que Ele o ajude em sua falta de fé. Quer conquistar o impossível? Creia em Deus.

2)Precisamos esperar a bênção sem duvidar.
Romanos 4:18 diz que Abraão continuou crendo enquanto esperava a bênção. Permanecer crendo enquanto espera não é fácil, muitas coisas podem acontecer enquanto esperamos que podem trazer dúvidas que abatam nossa fé e confiança em Deus. Precisamos trazer a memória o que pode reforçar a fé. Abraão se fortaleceu lembrando que Deus era poderoso para cumprir o que prometera. Se quisermos conquistar o impossível precisamos fortalecer nossa fé em Deus enquanto esperamos.

3)Pondo a fé em Deus e no que Ele disse você receberá a bênção.
Abraão se tornou pai. Pondo a fé em Deus e não duvidando conquistamos o impossível.

 

Bispo Emanuel Siqueira
Bispo Presidente da 7ª Região Eclesiástica

A Alegria Que Deus Dá

A Alegria Que Deus Dá

Textos: Romanos 14:17 e I Samuel 30:6

Introdução:

Hoje é comum vermos pessoas desanimadas e esgotadas. São muitas as situações de vida que levam a isso, mas o importante não é saber o que pode nos esgotar e sim o que pode nos renovar, o que pode nos dar novamente a alegria de vida perdida, ou a energia para enfrentar a luta do dia a dia.

Na Bíblia temos o exemplo de pessoas e dicas bíblicas para isso. Davi foi uma das pessoas que passou por situações tristes e de esgotamento, mas que recobrou a alegria e força de viver. Olhando para a Bíblia descobrimos que:

1) O diabo vai tentar te esgotar, mas Deus te dá a força para vencer o mal de cada dia. 
Davi descobriu que apesar do mal de cada dia que era obrigado a enfrentar ele podia se reanimar em Deus. Você tem tido que enfrentar o mal de cada dia? Busque a força para isso em Deus. Se buscar a Deus Ele te dará força para vencer.

2) As lutas vão trazer medo e insegurança, mas em Deus encontramos proteção e suprimento.
Na história humana Deus sempre foi amparo e fortaleza para aqueles que buscaram refúgio Nele. Você tem procurado refúgio no que? Quer ter a proteção e suprimento de Deus? Busque refúgio Nele.

3) Deus nos dá paz e alegria.
Quando buscamos as coisas de Deus, quando nos dedicamos as coisas do Espírito de Deus, e quando entregamos nossa vida para que ele seja Senhor da nossa vida, nos tornamos participantes do Reino de Deus; e a bíblia diz que o Reino de Deus é paz e alegria no Espírito Santo. Quer ter alegria de viver e paz? Busque se tornar participante do Reino de Deus e Deus te dará.

 

Bispo Emanuel Siqueira
Bispo Presidente da 7ª Região Eclesiástica

O Que Deus Nos Propõe

 O Que Deus Nos Propõe

Texto: Deuteronômio 30:15-20

 

Introdução: O que você faria se alguém te propusesse uma vida onde você fosse bem sucedido profissionalmente; tivesse uma família abençoada com filhos abençoados; se desse bem em tudo o que fizesse e não tivesse que se preocupar com inimigos, pois estaria bem protegido? Você toparia uma proposta dessas? Poderíamos desconfiar de uma proposta assim, mas sabendo que é real provavelmente toparíamos.

A verdade é que essa proposta já foi feita; ela está registrada na Bíblia, no livro de Deuteronômio. Deus nos propõe o que relatamos acima, mas a maioria rejeita a proposta. Por que fazemos isso? Por que rejeitamos uma proposta tão boa assim?

Para aceitá-la precisamos:

 

1)Amar a Deus.

Talvez pensemos que isso é fácil, mas a Bíblia ensina que devemos amar a Deus em primeiro lugar, e aí reside a dificuldade, pois costumamos amar a nós mesmos em primeiro lugar. Não estamos acostumados a abrir mão do que queremos e desejamos de maneira voluntária, até cedemos quando somos forçados a isso, mas para termos a vida abençoada que Deus nos propõe precisamos aprender a amá-lo em primeiro lugar.

 

2)Dar ouvidos a sua voz.

     Não é só escutar, é levar a sério o que Ele diz. Nosso problema aqui é que não estamos acostumados a obedecer, na verdade não gostamos disso. Preferimos fazer o que quisermos, quando e como quisermos. Isso não é possível.

Para aceitar o que Deus nos propõe precisamos dar ouvidos a sua voz. Não basta falar que quer, é preciso obedecer a Deus.

 

3)Andar nos seus caminhos e segui-lo.

     Para que a proposta de Deus se torne uma realidade em nossas vidas às vezes demora um pouquinho, não por causa de Deus, mas por nossa causa. Precisamos ser tratados, curados e transformados e, às vezes, esse processo demora um pouquinho. Muitos não conseguem esperar ou não gostam do tratamento de Deus e desistem. Se quisermos a vida que Deus nos propõe precisamos perseverar em seguir a Deus.

 

 

Bispo Emanuel Siqueira
Bispo Presidente da 7ª Região Eclesiástica

Conhecedores de sua época para saber o que fazer.

Conhecedores de sua época
para saber o que fazer.

1 Crônicas 12:32

A época em que vivemos é classificada por alguns sociólogos como modernidade líquida; é um termo cunhado para tentar classificar as constantes e rápidas alterações sociais, a dificuldade de se manter valores absolutos do passado, de se manter os ¨marcos passados¨, modelos referenciais que se mantenham relevantes.

Vivemos numa época onde tudo está sendo reavaliado a partir da perspectiva e necessidade de indivíduos e grupos minoritários. Com o discurso de se ter uma sociedade inclusiva, a sociedade para todos, corremos o risco de montar uma sociedade de ninguém, sempre em tensão e reforma sem nunca concluir nada.

O texto de 1 Cônicas 12:32 diz que Davi possuía um grupo de estrategistas que eram conhecedores de sua época e, por isso, orientavam a Israel como proceder. Esse grupo, os da tribo de Issacar, fizeram de Israel um povo vitorioso em suas batalhas.

Precisamos hoje de líderes que possam orientar o povo de Deus com sabedoria e clareza para que sejamos vitoriosos(as) na tarefa de manifestar o Reino de Deus nessa época confusa.

Além de procurarmos entender a nossa época precisamos de líderes que:

1. Entendam Nossa história. Quais os valores que são inegociáveis? Qual nossa essência como cristãos e metodistas? Quais os nossos valores como herdeiros da reforma protestante? O que é negociável (forma) e o que não (essência)?

2. Entendam nossa Missão. Para que existimos como cristãos e metodistas? O que temos feito que não tem a ver com nossa missão e que deixamos de fazer que tem? Como cumprimos com excelência nossa missão nessa época?

3. Sejam fiéis as bases do seu chamado. Pessoas de caráter que renunciam a tudo para servirem a Deus e ao próximo (Lucas 14:33); que aborrecem sua própria carne e se negam para viver a glória Daquele que os chamou. Pessoas que ¨apascentam o rebanho¨ servindo de exemplo, não por sórdida ganância, mas de boa vontade (1 Pedro 5:1-3).

4. Sejam conhecedores do seu Senhor e fiéis a Ele e a sua Palavra. Precisamos conhecer a vontade de nosso Senhor e não nos desviarmos dela, nem tentar moldá-la segundo nossa conveniência. Precisamos manter uma vida de devoção e santidade como ministros(as) de Deus, sermos conhecidos(as) como homens e mulheres de oração e que manejam bem a Palavra da verdade, sem ter que se envergonhar.

5. sejam cheios(as) do Espírito e de fé. Precisamos de líderes que manifestem a vida o poder de Deus em suas ações, palavras orações. Líderes que, como Jesus, deem vista aos cegos, façam os coxos andarem, surdos ouvirem, tragam purificação, vida e esperança aos pobres.

Precisamos de líderes que vivam a Palavra de Deus e manifestem o Reino de Deus. Nessa época de modernidade líquida, teoria, filosofia e discurso não causam tanto impacto; a manifestação da vida, poder, valores e sinais do Reino de Deus sim.

Busquemos uma renovação espiritual para que nessa geração confusa saibamos o que fazer e sejamos bem-sucedidos(as) na tarefa de tornar o Senhor Jesus Cristo conhecido e adorado nessa geração.

Que o Espírito Santo nos faça uma geração de Pastores/Pastoras relevantes e úteis para a sua obra nessa geração.

Que Deus nos abençoe.

Bispo Emanuel Siqueira
Bispo Presidente da 7ª Região Eclesiástica

Como Deus te vê – Pastoral Julho

Como Deus te vê

Textos: Pv.23:7a

Introdução: Já está comprovado que a maneira como nos vemos influencia em nosso desempenho profissional, relacionamentos, nas nossas atitudes, escolhas e decisões; ou seja, a maneira como a pessoa se vê afeta a sua vida toda. A visão que temos a nosso respeito afeta até mesmo a nossa vida cristã e o nosso relacionamento com Deus.   É, fácil criar uma imagem distorcida de si mesmo se a construímos a partir do aspecto físico, do sucesso ou do que os outros falam sobre nós. A maioria das pessoas tem uma imagem distorcida de si mesmo; muitos depreciam-se, outros super valorizam-se. A verdade a meu respeito pertence a Deus, como então saber verdadeiramente quem eu sou ? Sabendo como Deus me vê. E como Deus me vê ? A Bíblia dá algumas pistas.

 1) Somos pecadores (Rm.3:23 e I Jo.1:10).

Tem pessoas que tem dificuldade em admitir que são falhas, que erram. A Bíblia ensina que todos pecaram, sem distinção.

Existem pessoas que se acham melhores que outros; também existem os que se acham piores do que os outros; as duas atitudes são erradas, diante de Deus todos estão na mesma condição: pecadores necessitados de Deus.

2) Somos amados por Deus (Jo.3:16)

Deus conhece muito bem os nossos erros mas mesmo assim nos ama. O amor de Deus não serve como argumento para permanecermos no erro pois Deus também é justo, mas, para quem quer abandonar o pecado, é muito bom saber que pode se achegar a Deus com sinceridade (sem mentiras, ou dissimulação) que não é rejeitado.

3) Pecadores arrependidos são vistos como filhos ( João 1:12 e II Pe.3:9b)

Nem todas as pessoas são filhos de Deus. Somente os que se arrependem e o aceitam como Pai (aquele que ama, educa e disciplina).

Bispo Emanuel Siqueira
Bispo Presidente da 7ª Região Eclesiástica

Três coisas que precisamos saber e fazer

Texto: Jeremias 29:11

O texto de Jeremias 29:11 diz que Deus tem para nós planos de paz e não de mal, para nos dar o fim que desejamos. Creio que todos, sem exceção, desejam um final feliz. A Bíblia diz que é isso que Deus deseja nos dar.

O fato é que não desejamos somente um final feliz, desejamos uma vida feliz, pelo menos a maioria deseja uma vida um pouco melhor. Para que a vida ao lado de Deus nos dê não só um final feliz, mas também uma vida melhor:

1)Precisamos ter um entendimento correto da vida cristã.

Muitos não têm uma vida melhor, mesmo ao lado de Deus, porque não tem um entendimento correto da vida cristã. Como entendem errado, agem errado e sofrem com isso. Quer viver melhor? Procure conhecer um pouco mais sobre Deus e Sua vontade. Procure alguém que o ajude a entender melhor. Seu líder de célula está aí para ajudá-lo nisso.

2)Precisamos buscar a Deus com a motivação correta.

Tiago 4:2-3 diz que não recebemos nada de Deus porque não pedimos e, que muitas vezes quando pedimos, também não recebemos, pois buscamos a Deus pelos motivos errados. Aqueles que buscam a Deus por motivos egoístas dificilmente terão uma vida mais tranqüila ao lado de Deus. Quer viver melhor? Busque a Deus com a motivação correta. Busque a Deus para conhecê-lo melhor, para aprender a amá-lo e obedecê-lo. Fazendo isso você começará a experimentar os planos de Deus para você e viverá melhor.

3)Precisamos agir corretamente.

Na vida cristã a atitude correta é sempre obedecer a Deus. Aprenda a obedecer a Deus sempre, quando você entende o porquê e quando não entende, quando é fácil e quando é complicado, quando leva vantagem e quando não parece vantajoso obedecer. Quer viver melhor? Obedeça a Deus sempre. E quando desobedecer arrependa-se, confesse e volte a obedecer. Faça o que Deus diz.

Bispo Emanuel Siqueira
Bispo Presidente da 7ª Região Eclesiástica

Morte e Ressurreição

Texto: João 1:12 – Romanos 6:23

A morte espiritual é um fato pelo qual todo ser humano passa (Romanos 3:23 – todos pecaram); a vida eterna, pelo contrário, só é experimentada pelos que queriam receber a Jesus em suas vidas. Todos que o receberem como Senhor e Salvador serão vivificados por Jesus.

1) Jesus pagou o preço pelos meus pecados. Pagou minha dívida.

Éramos culpados por desobedecermos a Deus, como culpados precisávamos ser punidos, precisávamos pagar a dívida que tínhamos pelos nossos pecados.
Quando Jesus morreu na cruz e derramou Seu sangue pagou a dívida que era nossa, pagou o preço por nossos pecados. A morte de Jesus na cruz cancelou nossa dívida. Nossa dívida foi paga com o sangue de Jesus.

2) Jesus justificou-nos diante de Deus.

Além de pagar o preço pelos meus pecados, cancelar a minha dívida e purificar-me Jesus nos justificou diante de Deus. Quando nossa dívida foi paga fomos justificados. Recebemos esse benefício pela fé (Romanos 5:1).

3) Jesus libertou-nos do domínio do pecado.

Antes de recebermos a Jesus como Senhor e Salvador não tínhamos como agradar a Deus nem como obedecê-lo, éramos dominados pela nossa natureza pecaminosa. Esse domínio foi quebrado, em Jesus Cristo recebemos uma nova identidade. O pecado não pode ser um hábito na vida daquele que tem a Jesus.

4) Jesus deu-nos o poder de sermos feitos filhos de Deus.

Essa é a nova identidade a de filhos de Deus, e como tal podemos agradá-lo e obedecê-lo. Hoje podemos optar se queremos obedecer a Deus ou a carne.

Conclusão: Satanás continuará a acusar-nos. Diariamente tentará jogar em nossa cara os nossos pecados para desanimar-nos e nos fazer desistir de buscar e seguir ao Senhor. A vitória contra a acusação de Satanás é termos gravados em nossa mente e coração o que a morte e a ressurreição de Jesus garantiu para aqueles que o receberam.
Se você o recebeu como Senhor e Salvador você teve os seus pecados perdoados, a sua dívida cancelada, foi justificado diante de Deus, foi liberto do domínio do pecado e recebeu o poder de ser um filho(a) de Deus. Vamos orar agradecendo a Ele por todos os benefícios.

Bispo Emanuel Siqueira
Bispo Presidente da 7ª Região Eclesiástica

Eu edificarei a minha Igreja

Sobre esta pedra eu edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. (Mateus 16.18)

Nós gostamos dessa afirmação que Jesus fez depois da declaração de Pedro de que ele era “o Cristo, o filho do Deus vivo”. Nós também já ouvimos o que podemos concluir dessa afirmação:

a) É Jesus quem edifica a igreja:

Ele disse “eu edificarei”. Nenhum/a pastor/a ou líder carismático/a; capacitado/a ou talentoso/a pode edificar a Igreja. Às vezes ficamos impressionados/as com alguns/as líderes. Deveríamos ficar impressionados/as com Jesus. É ele quem edifica a Igreja.

b) Jesus tem um projeto para a sua igreja:

Ele disse que edificará a Igreja. A afirmação de Jesus está apontando para o futuro. Não é algo que aconteceu no passado. É algo que continua acontecendo. E continuará até a sua volta.

c) A Igreja pertence a Jesus:

Ele disse “a minha igreja”. Logo, se for minha ou sua, então não é igreja. Se for igreja, pertence a Jesus. Lembre-se de que foi Jesus que morreu pela igreja, não foi você ou eu!

d) Jesus sempre protegerá a igreja:

Jesus protege uma igreja não no sentido passivo, mas no sentido ativo. A igreja avança, e no poder de Jesus ataca as portas do inferno (as manifestações do mal), e as portas do inferno não prevalecem. Então nenhum/a de nós precisa ter medo de realizar o trabalho do Senhor. Ele cuida da sua igreja.

Quero destacar alguns compromissos que o povo Metodista precisa fazer como parte da Igreja que está sendo edificada por Jesus:

1. Precisamos nos comprometer com uma vida de oração:

Precisamos dar passos práticos para nos tornarmos mais eficazes como uma igreja que ora. Precisamos nos reunir para orar. Em Mateus 21.13, Jesus disse que “minha casa será chamada uma casa de oração”. Certamente oramos individualmente, mas precisamos orar corporativamente também. Mais do que um programa, a oração precisa se tornar um estilo de vida da Igreja. A oração precisa voltar a ser prioridade na vida da igreja. Não podemos esquecer que “não é por força, nem por violência, mas pelo espírito do Senhor” (Zacarias 4.6).

2. Precisamos nos comprometer com uma vida de Santidade:

Esse é o compromisso do povo chamado metodista desde a sua origem quando Wesley e seus pregadores chegaram à conclusão de que os/as metodistas haviam sido chamados/as para “reformar a nação, em especial a igreja, e espalhar santidade bíblica por toda a terra”. Nossa história fala sobre santidade. Nosso planejamento nacional fala sobre santidade. O nosso tema para o biênio traz esta ênfase:
“Discípulos e discípulas, nos caminhos da missão, produzem frutos de uma vida santificada”.
Todo ser humano produz algum tipo de fruto. Nós somos chamados/as a produzir frutos que testifiquem o fato de que fomos santificados/as, separados/as pelo nosso Deus. Povo santo testemunhando uma vida na presença de Deus.

3. Precisamos nos comprometer com um estilo de vida de generosidade:

A generosidade é sempre consequência do amor. Quem ama de verdade é generoso/a. Deus amou tanto que praticou o maior ato de generosidade, dando o seu único filho. Generosidade afeta todas as áreas da nossa vida: finanças, dons, talentos, tempo.
Quando plantamos uma nova igreja ou um novo campo missionário, isso é um ato de generosidade. Um ato de amor sacrifical – saímos de nossa zona de conforto para abençoar outras pessoas. Quando sustentamos um/a missionário/a, isso é um ato de generosidade e de amor. Quando aceitamos liderar um grupo de discipulado, uma classe de escola dominical, isso é um ato de generosidade. Quando, em obediência ao senhor, colocamos os dons e talentos a serviço da igreja e da comunidade, isso é um ato de amor, de generosidade.
Na vida cristã, a falta de generosidade é sinônimo não apenas de egoísmo, mas é também sinônimo de desobediência e infidelidade.

4. Finalmente precisamos nos comprometer com a excelência em tudo o que fazemos:

Não basta ser generoso/a. É preciso fazer tudo com excelência. Depois de falar sobre os dons no capítulo 12 da primeira epístola aos Coríntios, Paulo inicia o capítulo 13 dizendo: no uso dos dons, eu vou mostrar para vocês o caminho sobremodo excelente: “o amor”.
Tudo o que fazemos com amor, fazemos com qualidade e excelência. Eu disse que Jesus tem um projeto para a sua igreja. Seu projeto é fazer discípulos/as de todas as nações.
Assim o povo Metodista avança, participando do projeto de Jesus para a sua Igreja. Avança em ORAÇÃO; SANTIDADE; GENEROSIDADE E EXCELÊNCIA.

Que Deus nos ajude e nos dê graça!

 

Bispo João Carlos Lopes

Bispo da 6ª Região Eclesiástica

Minha vontade ou a de Deus?

Texto: Mateus 26:39

Introdução: Sabemos que nem sempre as coisas são como gostaríamos. Muitas vezes a nossa própria vida caminha numa direção muito diferente do que sonhávamos. Nem tudo que sonhamos se concretiza, isso por vários fatores, mas um deles é que descobrimos que nem tudo que desejamos é bom para nós. Quando crescemos mudamos de opinião.

Mudar de opinião é algo comum, não é tão difícil, o difícil é abrir mão de sua vontade, mesmo que seja pela vontade de Deus.

Sabemos que à vontade de Deus é o melhor para nossas vidas (Jeremias 29:11), mas mesmo sabendo disso nem sempre é fácil abrir mão de nossa vontade, do que queremos. Jesus sabia que a vontade do Pai era o melhor para toda a humanidade, mas mesmo assim enfrentou uma grande batalha pessoal e até orou dizendo que se fosse possível que Deus passasse Dele aquele cálice, porém que fosse feita a vontade de Deus.

Nem todos, como Jesus, perseveram na vontade de Deus, alguns insistem com sua vontade, mesmo sabendo que é contrária a vontade de Deus. O que acontece quando conhecemos a vontade de Deus e insistimos em fazer a nossa?

1)Nossa alma definha (Salmos 106:14-15).

Perdemos a alegria e motivação na vida com Deus. Perdemos a vontade de prosseguir em frente, de nos esforçarmos em direção a uma maior comunhão com Jesus.

2)Deixamos de usufruir o projeto abençoador de Deus para nossas vidas (Mateus 23:37-38).

Quando você insiste na sua vontade pode perder o que Deus tinha preparado para você.

3)Perdemos a intimidade com Deus (Isaías 59:2).

Quando insistimos com a nossa vontade, mesmo sabendo que é contrária à vontade de Deus, pecamos. Os nossos pecados fazem separação entre nós e Deus.

Conclusão: Você gostaria de usufruir o projeto abençoador de Deus para a sua vida? Gostaria que sua alma fosse próspera? Gostaria de ser um amigo(a) de Deus? Se sim, então entregue sua vida a Ele e submeta-se a vontade Dele. Ore como Jesus para que seja feita a vontade de Deus na sua vida e não mais a sua. Você quer isso? Levante a mão vamos orar.

Para viver bem

Textos: Provérbios 3:5-6 e Salmo 37:5

Introdução: Existem vários livros de auto ajuda que tentam ensinar dicas as pessoas para que elas possam viver melhor, isso em várias áreas diferentes. O objetivo dessas dicas é melhorar a vida das pessoas.

A Bíblia não é um livro de auto ajuda, mas um dos seus objetivos é nos ajudar a viver melhor, a ter vida em abundância. Ela possui muitas dicas do que devemos fazer para isso. Aqui nós veremos três dicas presentes nos textos bíblicos que nós lemos no início do estudo. São elas:

 

1)Entregue sua vida a Deus e confie Nele.

O autor da maior parte do livro de Provérbios foi o rei Salomão, considerado o homem mais sábio que já existiu, e este sábio diz que devemos confiar em Deus de todo o nosso coração; ou seja, sem sombra de dúvida. Uma das atitudes que demonstram essa confiança é entregar a vida a Deus. Você confia em Deus? Já entregou sua vida a Ele para que Ele faça com sua vida o que Ele acha melhor e não o que você quer que Ele faça? Se quiser viver bem confie em Deus de verdade e entregue sua vida a Ele.

 

2)Não confie em você mesmo.

Muitos acham o máximo falarem que conquistaram as coisas a sua custa, que só podem contar com elas mesmas, mas a verdade é que nós vivemos fazendo coisas e tomando decisões que complicam nossas vidas. Por exemplo, quantos já pecaram? Nós é que escolhemos isso, e o pecado atrapalha muito nossa vida. A verdade é que uma vida onde confiamos só em nós mesmos é muito insegura e amaldiçoada (Jeremias 17:5). Confiar só em si mesmo atrapalha a confiança em Deus. Se quiser viver bem aprenda a confiar em Deus, não em si mesmo.

 

3)Obedeça a Deus e espere a bênção.

Se quiser viver bem para de questionar os mandamentos de Deus e passe a obedecer. O caminho para uma vida cheia da bênção de Deus é o caminho da obediência. Se quiser viver melhor aprenda a obedecer sempre a Deus.

 

Conclusão: Quer viver melhor? A escolha é sua. Quer entregar a vida a Deus, confiar Nele e obedecê-lo? Fazer a vontade de Deus? Levante a mão, vamos orar.

 

Bispo Emanuel Siqueira
Bispo Presidente da 7ª Região Eclesiástica