Três coisas que precisamos saber e fazer

Texto: Jeremias 29:11

O texto de Jeremias 29:11 diz que Deus tem para nós planos de paz e não de mal, para nos dar o fim que desejamos. Creio que todos, sem exceção, desejam um final feliz. A Bíblia diz que é isso que Deus deseja nos dar.

O fato é que não desejamos somente um final feliz, desejamos uma vida feliz, pelo menos a maioria deseja uma vida um pouco melhor. Para que a vida ao lado de Deus nos dê não só um final feliz, mas também uma vida melhor:

1)Precisamos ter um entendimento correto da vida cristã.

Muitos não têm uma vida melhor, mesmo ao lado de Deus, porque não tem um entendimento correto da vida cristã. Como entendem errado, agem errado e sofrem com isso. Quer viver melhor? Procure conhecer um pouco mais sobre Deus e Sua vontade. Procure alguém que o ajude a entender melhor. Seu líder de célula está aí para ajudá-lo nisso.

2)Precisamos buscar a Deus com a motivação correta.

Tiago 4:2-3 diz que não recebemos nada de Deus porque não pedimos e, que muitas vezes quando pedimos, também não recebemos, pois buscamos a Deus pelos motivos errados. Aqueles que buscam a Deus por motivos egoístas dificilmente terão uma vida mais tranqüila ao lado de Deus. Quer viver melhor? Busque a Deus com a motivação correta. Busque a Deus para conhecê-lo melhor, para aprender a amá-lo e obedecê-lo. Fazendo isso você começará a experimentar os planos de Deus para você e viverá melhor.

3)Precisamos agir corretamente.

Na vida cristã a atitude correta é sempre obedecer a Deus. Aprenda a obedecer a Deus sempre, quando você entende o porquê e quando não entende, quando é fácil e quando é complicado, quando leva vantagem e quando não parece vantajoso obedecer. Quer viver melhor? Obedeça a Deus sempre. E quando desobedecer arrependa-se, confesse e volte a obedecer. Faça o que Deus diz.

Bispo Emanuel Siqueira
Bispo Presidente da 7ª Região Eclesiástica

Morte e Ressurreição

Texto: João 1:12 – Romanos 6:23

A morte espiritual é um fato pelo qual todo ser humano passa (Romanos 3:23 – todos pecaram); a vida eterna, pelo contrário, só é experimentada pelos que queriam receber a Jesus em suas vidas. Todos que o receberem como Senhor e Salvador serão vivificados por Jesus.

1) Jesus pagou o preço pelos meus pecados. Pagou minha dívida.

Éramos culpados por desobedecermos a Deus, como culpados precisávamos ser punidos, precisávamos pagar a dívida que tínhamos pelos nossos pecados.
Quando Jesus morreu na cruz e derramou Seu sangue pagou a dívida que era nossa, pagou o preço por nossos pecados. A morte de Jesus na cruz cancelou nossa dívida. Nossa dívida foi paga com o sangue de Jesus.

2) Jesus justificou-nos diante de Deus.

Além de pagar o preço pelos meus pecados, cancelar a minha dívida e purificar-me Jesus nos justificou diante de Deus. Quando nossa dívida foi paga fomos justificados. Recebemos esse benefício pela fé (Romanos 5:1).

3) Jesus libertou-nos do domínio do pecado.

Antes de recebermos a Jesus como Senhor e Salvador não tínhamos como agradar a Deus nem como obedecê-lo, éramos dominados pela nossa natureza pecaminosa. Esse domínio foi quebrado, em Jesus Cristo recebemos uma nova identidade. O pecado não pode ser um hábito na vida daquele que tem a Jesus.

4) Jesus deu-nos o poder de sermos feitos filhos de Deus.

Essa é a nova identidade a de filhos de Deus, e como tal podemos agradá-lo e obedecê-lo. Hoje podemos optar se queremos obedecer a Deus ou a carne.

Conclusão: Satanás continuará a acusar-nos. Diariamente tentará jogar em nossa cara os nossos pecados para desanimar-nos e nos fazer desistir de buscar e seguir ao Senhor. A vitória contra a acusação de Satanás é termos gravados em nossa mente e coração o que a morte e a ressurreição de Jesus garantiu para aqueles que o receberam.
Se você o recebeu como Senhor e Salvador você teve os seus pecados perdoados, a sua dívida cancelada, foi justificado diante de Deus, foi liberto do domínio do pecado e recebeu o poder de ser um filho(a) de Deus. Vamos orar agradecendo a Ele por todos os benefícios.

Bispo Emanuel Siqueira
Bispo Presidente da 7ª Região Eclesiástica

Eu edificarei a minha Igreja

Sobre esta pedra eu edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. (Mateus 16.18)

Nós gostamos dessa afirmação que Jesus fez depois da declaração de Pedro de que ele era “o Cristo, o filho do Deus vivo”. Nós também já ouvimos o que podemos concluir dessa afirmação:

a) É Jesus quem edifica a igreja:

Ele disse “eu edificarei”. Nenhum/a pastor/a ou líder carismático/a; capacitado/a ou talentoso/a pode edificar a Igreja. Às vezes ficamos impressionados/as com alguns/as líderes. Deveríamos ficar impressionados/as com Jesus. É ele quem edifica a Igreja.

b) Jesus tem um projeto para a sua igreja:

Ele disse que edificará a Igreja. A afirmação de Jesus está apontando para o futuro. Não é algo que aconteceu no passado. É algo que continua acontecendo. E continuará até a sua volta.

c) A Igreja pertence a Jesus:

Ele disse “a minha igreja”. Logo, se for minha ou sua, então não é igreja. Se for igreja, pertence a Jesus. Lembre-se de que foi Jesus que morreu pela igreja, não foi você ou eu!

d) Jesus sempre protegerá a igreja:

Jesus protege uma igreja não no sentido passivo, mas no sentido ativo. A igreja avança, e no poder de Jesus ataca as portas do inferno (as manifestações do mal), e as portas do inferno não prevalecem. Então nenhum/a de nós precisa ter medo de realizar o trabalho do Senhor. Ele cuida da sua igreja.

Quero destacar alguns compromissos que o povo Metodista precisa fazer como parte da Igreja que está sendo edificada por Jesus:

1. Precisamos nos comprometer com uma vida de oração:

Precisamos dar passos práticos para nos tornarmos mais eficazes como uma igreja que ora. Precisamos nos reunir para orar. Em Mateus 21.13, Jesus disse que “minha casa será chamada uma casa de oração”. Certamente oramos individualmente, mas precisamos orar corporativamente também. Mais do que um programa, a oração precisa se tornar um estilo de vida da Igreja. A oração precisa voltar a ser prioridade na vida da igreja. Não podemos esquecer que “não é por força, nem por violência, mas pelo espírito do Senhor” (Zacarias 4.6).

2. Precisamos nos comprometer com uma vida de Santidade:

Esse é o compromisso do povo chamado metodista desde a sua origem quando Wesley e seus pregadores chegaram à conclusão de que os/as metodistas haviam sido chamados/as para “reformar a nação, em especial a igreja, e espalhar santidade bíblica por toda a terra”. Nossa história fala sobre santidade. Nosso planejamento nacional fala sobre santidade. O nosso tema para o biênio traz esta ênfase:
“Discípulos e discípulas, nos caminhos da missão, produzem frutos de uma vida santificada”.
Todo ser humano produz algum tipo de fruto. Nós somos chamados/as a produzir frutos que testifiquem o fato de que fomos santificados/as, separados/as pelo nosso Deus. Povo santo testemunhando uma vida na presença de Deus.

3. Precisamos nos comprometer com um estilo de vida de generosidade:

A generosidade é sempre consequência do amor. Quem ama de verdade é generoso/a. Deus amou tanto que praticou o maior ato de generosidade, dando o seu único filho. Generosidade afeta todas as áreas da nossa vida: finanças, dons, talentos, tempo.
Quando plantamos uma nova igreja ou um novo campo missionário, isso é um ato de generosidade. Um ato de amor sacrifical – saímos de nossa zona de conforto para abençoar outras pessoas. Quando sustentamos um/a missionário/a, isso é um ato de generosidade e de amor. Quando aceitamos liderar um grupo de discipulado, uma classe de escola dominical, isso é um ato de generosidade. Quando, em obediência ao senhor, colocamos os dons e talentos a serviço da igreja e da comunidade, isso é um ato de amor, de generosidade.
Na vida cristã, a falta de generosidade é sinônimo não apenas de egoísmo, mas é também sinônimo de desobediência e infidelidade.

4. Finalmente precisamos nos comprometer com a excelência em tudo o que fazemos:

Não basta ser generoso/a. É preciso fazer tudo com excelência. Depois de falar sobre os dons no capítulo 12 da primeira epístola aos Coríntios, Paulo inicia o capítulo 13 dizendo: no uso dos dons, eu vou mostrar para vocês o caminho sobremodo excelente: “o amor”.
Tudo o que fazemos com amor, fazemos com qualidade e excelência. Eu disse que Jesus tem um projeto para a sua igreja. Seu projeto é fazer discípulos/as de todas as nações.
Assim o povo Metodista avança, participando do projeto de Jesus para a sua Igreja. Avança em ORAÇÃO; SANTIDADE; GENEROSIDADE E EXCELÊNCIA.

Que Deus nos ajude e nos dê graça!

 

Bispo João Carlos Lopes

Bispo da 6ª Região Eclesiástica

Minha vontade ou a de Deus?

Texto: Mateus 26:39

Introdução: Sabemos que nem sempre as coisas são como gostaríamos. Muitas vezes a nossa própria vida caminha numa direção muito diferente do que sonhávamos. Nem tudo que sonhamos se concretiza, isso por vários fatores, mas um deles é que descobrimos que nem tudo que desejamos é bom para nós. Quando crescemos mudamos de opinião.

Mudar de opinião é algo comum, não é tão difícil, o difícil é abrir mão de sua vontade, mesmo que seja pela vontade de Deus.

Sabemos que à vontade de Deus é o melhor para nossas vidas (Jeremias 29:11), mas mesmo sabendo disso nem sempre é fácil abrir mão de nossa vontade, do que queremos. Jesus sabia que a vontade do Pai era o melhor para toda a humanidade, mas mesmo assim enfrentou uma grande batalha pessoal e até orou dizendo que se fosse possível que Deus passasse Dele aquele cálice, porém que fosse feita a vontade de Deus.

Nem todos, como Jesus, perseveram na vontade de Deus, alguns insistem com sua vontade, mesmo sabendo que é contrária a vontade de Deus. O que acontece quando conhecemos a vontade de Deus e insistimos em fazer a nossa?

1)Nossa alma definha (Salmos 106:14-15).

Perdemos a alegria e motivação na vida com Deus. Perdemos a vontade de prosseguir em frente, de nos esforçarmos em direção a uma maior comunhão com Jesus.

2)Deixamos de usufruir o projeto abençoador de Deus para nossas vidas (Mateus 23:37-38).

Quando você insiste na sua vontade pode perder o que Deus tinha preparado para você.

3)Perdemos a intimidade com Deus (Isaías 59:2).

Quando insistimos com a nossa vontade, mesmo sabendo que é contrária à vontade de Deus, pecamos. Os nossos pecados fazem separação entre nós e Deus.

Conclusão: Você gostaria de usufruir o projeto abençoador de Deus para a sua vida? Gostaria que sua alma fosse próspera? Gostaria de ser um amigo(a) de Deus? Se sim, então entregue sua vida a Ele e submeta-se a vontade Dele. Ore como Jesus para que seja feita a vontade de Deus na sua vida e não mais a sua. Você quer isso? Levante a mão vamos orar.

Para viver bem

Textos: Provérbios 3:5-6 e Salmo 37:5

Introdução: Existem vários livros de auto ajuda que tentam ensinar dicas as pessoas para que elas possam viver melhor, isso em várias áreas diferentes. O objetivo dessas dicas é melhorar a vida das pessoas.

A Bíblia não é um livro de auto ajuda, mas um dos seus objetivos é nos ajudar a viver melhor, a ter vida em abundância. Ela possui muitas dicas do que devemos fazer para isso. Aqui nós veremos três dicas presentes nos textos bíblicos que nós lemos no início do estudo. São elas:

 

1)Entregue sua vida a Deus e confie Nele.

O autor da maior parte do livro de Provérbios foi o rei Salomão, considerado o homem mais sábio que já existiu, e este sábio diz que devemos confiar em Deus de todo o nosso coração; ou seja, sem sombra de dúvida. Uma das atitudes que demonstram essa confiança é entregar a vida a Deus. Você confia em Deus? Já entregou sua vida a Ele para que Ele faça com sua vida o que Ele acha melhor e não o que você quer que Ele faça? Se quiser viver bem confie em Deus de verdade e entregue sua vida a Ele.

 

2)Não confie em você mesmo.

Muitos acham o máximo falarem que conquistaram as coisas a sua custa, que só podem contar com elas mesmas, mas a verdade é que nós vivemos fazendo coisas e tomando decisões que complicam nossas vidas. Por exemplo, quantos já pecaram? Nós é que escolhemos isso, e o pecado atrapalha muito nossa vida. A verdade é que uma vida onde confiamos só em nós mesmos é muito insegura e amaldiçoada (Jeremias 17:5). Confiar só em si mesmo atrapalha a confiança em Deus. Se quiser viver bem aprenda a confiar em Deus, não em si mesmo.

 

3)Obedeça a Deus e espere a bênção.

Se quiser viver bem para de questionar os mandamentos de Deus e passe a obedecer. O caminho para uma vida cheia da bênção de Deus é o caminho da obediência. Se quiser viver melhor aprenda a obedecer sempre a Deus.

 

Conclusão: Quer viver melhor? A escolha é sua. Quer entregar a vida a Deus, confiar Nele e obedecê-lo? Fazer a vontade de Deus? Levante a mão, vamos orar.

 

Bispo Emanuel Siqueira
Bispo Presidente da 7ª Região Eclesiástica

Discípulas e discípulos nos caminhos da missão servem com integridade

O Colégio Episcopal da Igreja Metodista apresenta a pastoral orientadora para a reflexão e ação de cada metodista, em cada comunidade local, sob o tema do ano: “Discípulas e discípulos nos caminhos da missão servem com integridade”.

Nesta pastoral, descrevemos aspectos importantes da integridade, seu conceito no contexto do tema e como construir a integridade à luz dos valores e princípios da Palavra de Deus e de sua prática em nossos tempos atuais. Recomendamos seu estudo em grupos, nas classes de Escola Dominical, nos cursos de preparação de líderes, em ministrações baseadas nela para cultos e encontros diversos da vida da Igreja Metodista em terras brasileiras.

Em tempos de fragmentação, de crises diversas, desde aspectos de nossa economia e cultura, passando pela influência das tecnologias atuais, abalos políticos que afetam pessoas, famílias e cidades, questionamentos acerca de todas as bases que compõem o humano e as sociedades, o tema da integridade se faz relevante para nós. Nesse sentido, perguntamos pela integridade do serviço que prestamos, recordando, entre outros textos, o sermão “Discurso ao Clero”, no qual Wesley, falando aos pastores de sua época, também hoje nos questiona, tanto no corpo pastoral quanto no corpo laico da Igreja, acerca dos motivos que nos levam a servir. Discernir, arrepender-nos e redirecionar nossas motivações mais interiores quando se trata de servir a Deus e ao próximo, à proxima são prerrogativas inadiáveis para um povo que anseia vivenciar um discipulado autêntico, bíblico e em santidade.

Que Deus abençoe sua leitura e prática a partir desta pastoral!

Colégio Episcopal da Igreja Metodista
CLIQUE ABAIXO PARA FAZER DOWNLOAD DO DOCUMENTO COMPLETO

Fonte: Expositor Cristão

Tempo de buscar a Deus

Texto base: Oséias 10:12

A natureza nos ensina que tudo tem um tempo próprio; as estações; o dia e a noite; as árvores frutíferas; os seres vivos (de criança a adultos, de filhotes adultos, de mudas a árvores). Os propósitos na vida também tem um tempo certo (casamento, ter filhos, profissão, faculdade).

Podemos tentar apressar as coisas, mas normalmente perdemos agindo assim. Podemos colher o fruto verde, mas ele não será tão saboroso.

A Bíblia nos ensina que existe um tempo para buscar a Deus. Isso não tem a ver com anos ou meses, também não tem a ver com as circunstâncias externas. O tempo certo para buscarmos a Deus tem a ver conosco.

Qual o tempo de buscarmos a Deus?

  • Quando estamos arrependidos de nossos pecados e desejamos abandoná-los é tempo de buscar a Deus. Agora precisamos desejar deixar o pecado. Desejo e intenção são diferentes. Muitos entendem que tem que deixar o pecado e até decidem fazer isso, mas como não desejam de verdade abandonar o pecado, pois gostam dele, não levam a decisão adiante. Precisamos saber que o pecado nos afasta de Deus. Se queremos a Deus temos que desejar deixar o pecado.
  • Quando queremos conhecer melhor a Deus e estamos dispostos a isso é tempo de buscar a Deus.
  • Quando o temor de Deus começa a ganhar o nosso coração é tempo de buscar a Deus. Temor não tem a ver com medo, tem a ver com respeito e amor. Quando respeitamos a Deus e o amamos mais do que ao pecado é tempo de buscar a Deus.
  • Quando nos tornamos humildes o bastante para aprendermos e obedecermos é tempo de buscar a Deus. Talvez o maior pecado do ser-humano seja arrogância (orgulho). Caímos na mesma condenação do diabo (I Tm. 3:6).
  • Quando entendemos que somos impotentes e ignorantes, quando entendemos que lidamos com coisas grandiosas demais para nós e sem Deus nós não podemos nada. Quando entendemos que precisamos e dependemos e dependemos de Deus é tempo de buscá-lo.

Hoje pode ser o tempo de você buscar a Deus, depende de você.

Bispo Emanuel Siqueira
Bispo Presidente da 7ª Região Eclesiástica

Aprofundar

O termo aprofundar significa tornar mais fundo, mas também pode significar estudar minuciosamente, investigar a fundo. Muitas vezes fazemos uma pesquisa a fundo. Muitas vezes fazemos uma pesquisa mais minuciosa em livros e comentários bíblicos sobre um tema ou texto e falamos que nos aprofundamos sobre este assunto, mas a verdade é que esse tipo de aprofundamento ainda é parcial e superficial.

A Bíblia diz que em partes conhecemos (1Coríntios 13:9). Também diz que vemos as coisas de Deus obscuramente (1 Coríntios 13:12). Diz ainda que uma pessoa, com sua mente racional, não pode entender as coisas do Espírito de Deus (1 Coríntios 2:14). Estes e outros versículos deixam claro em Sua Palavra para que nos aprofundemos nas coisas espirituais e de Seu Reino é outra.

No capítulo 2 de 1 Coríntios, o apóstolo Paulo ainda diz que Deus revela o que preparou para aqueles/as que o amam pelo Seu Espírito. É uma revelação que através do raciocínio, estudo e investigação não conseguiremos alcançar. Paulo diz que as coisas do Espírito de Deus se discernem espiritualmente.

Profetas como Daniel buscavam a Deus em oração e jejum por vários dias para entenderem o que Deus havia mostrado em visão. Em Atos 2 Pedro diz que o tempo em que Deus daria visões e sonhos, como consequência do derramamento do Espírito, era chegado.

Vivemos essa época. E, nessa época em que Deus dá visões e sonhos, nos revela o que preparou pelo Seu Espírito, muitas vezes continuamos tentando discernir as coisas de Deus só com a mente racional.

O estudo, a pesquisa, a investigação do que já foi revelado, a leitura de bons livros e da Bíblia tem muito valor, e devemos nos dedicar a isso com afinco; mas devemos nos aprofundar em jejum e oração para que Ele fale, dê visões e sonhos, e o entendimento pelo Espírito do que falou.

Aprofundemo-nos em nossa intimidade com o Senhor para que em nossos ensinos, estudos bíblicos, pregações e testemunhos as visões de Deus sejam frequentes e a Palavra Dele seja penetrante, desafiadora, como a verdadeira Palavra de Deus é, e não somente palavra persuasiva de sabedoria ou letra morta.
Que Deus abençoe e supra com abundância ao povo Dele em nosso estado e região.

Bispo Emanuel Siqueira
Bispo Presidente da 7ª Região Eclesiástica

Ministerial 7ª Região Eclesiástica

Prezados/Prezadas
Irmãos e Irmãs

Graça e Paz!

“O Evangelho para cada pessoa no Estado do Rio de Janeiro, um grupo de discipulado para cada rua, e uma igreja para cada bairro ou cidade. Para alcançar 1.000.000 de discípulos até 2021”.

Convoco os Presbíteros/As, Pastores/As e Aspirantes ao Presbiterado a estarem no Ministerial que será realizado nos dias 08 a 10 de agosto nas dependências do IMFORM (Escola de Missões), situado a Rua: Estrada Rio Bahia, BR 116 /KM 46,5, Bairro: Serra do Capim.

Estarão nos ministrando na oportunidade além do Bispo Emanuel (Mano), O Pr. Luciano Subirá e Pr. Elias Dantas. Cremos que será um tempo de bênçãos, comunhão, ânimo e fortalecimento para o corpo Pastoral da 7ª Região.

As inscrições serão feitas diretamente no IMFORM, e o investimento será de R$ 240.00, incluindo alimentação, roupa de cama e banho. Contato: (21) 3641-6535

Sem mais, orando por vós,

Bispo Emanuel Adriano Siqueira da Silva – Mano