Ponha Fé em Deus

Ponha a Fé em Deus.

Texto: Romanos 4:3 e 18-21.

Introdução:
A maioria das pessoas apóia a sua confiança nas suas habilidades e possibilidades, mesmo q

uando não tem tudo que é necessário para conseguir o que querem, crêem na sua capacidade de conseguir parcerias para ter o que querem. Quando colocamos nossa esperança só em nossas possibilidades limitamos demais o que podemos alcançar.
Um exemplo claro de alguém que foi além de suas possibilidades é Abraão. A Bíblia diz que ele e sua esposa, Sara, geraram um filho em idade avançada, quando já tinham deixado de ser férteis, mas isso só aconteceu porque confiaram em Deus. Você quer conquistar coisas aparentemente impossíveis? Se quisermos isso:

1)Precisamos crer em Deus.

Crer é acreditar sem sombra de dúvida, sem insegurança e ques

tionamento. A maioria não consegue isso. Se não consegue crer em Deus seja sincero(a) com Ele e peça que Ele o ajude em sua falta de fé. Quer conquistar o impossível? Creia em Deus.

2)Precisamos esperar a bênção sem duvidar.
Romanos 4:18 diz que Abraão continuou crendo enquanto esperava a bênção. Permanecer crendo enquanto espera não é fácil, muitas coisas podem acontecer enquanto esperamos que podem trazer dúvidas que abatam nossa fé e confiança em Deus. Precisamos trazer a memória o que pode reforçar a fé. Abraão se fortaleceu lembrando que Deus era poderoso para cumprir o que prometera. Se quisermos conquistar o impossível precisamos fortalecer nossa fé em Deus enquanto esperamos.

3)Pondo a fé em Deus e no que Ele disse você receberá a bênção.
Abraão se tornou pai. Pondo a fé em Deus e não duvidando conquistamos o impossível.

 

Bispo Emanuel Siqueira
Bispo Presidente da 7ª Região Eclesiástica

CULTO DO PASTOR(A) APOSENTADO – 11 NOV DOMINGO

Acontecerá domingo dia 11 de novembro, na Catedral Metodista em Anta, o CULTO DO PASTOR APOSENTADO, onde estaremos agradecendo ao Senhor pelos pastores e pastoras aposentados, que sempre serviram com amor à obra de Deus na Igreja Metodista.

Será um momento de muita alegria, comunhão e adoração ao nosso Pai.

Teremos a  participação do nosso Bispo Mano quer irá ministrar a  Palavra. Após o Culto haverá almoço no local, para estarmos juntos em comunhão uns com os outros.

Venha estar conosco!

NOTA DE ESCLARECIMENTO – ELEIÇÕES 2018


Tivemos uma notícia em vários meios de comunicação dizendo que a
Igreja Metodista confirmou seu apoio a um candidato a presidente.

A mídia divulgou de maneira errada, e estamos entrando em contato com os órgãos de comunicação para corrigirem.

Alguns membros da Igreja Metodista e pastores/as compareceram à reunião, mas não declararam apoio em nome da Metodista como foi veiculado.

A seguir a nota oficial do Colégio Episcopal sobre o assunto:

Orientações do Colégio Episcopal sobre manifestações
políticas de membros da Igreja Metodista

O Colégio Episcopal já publicou as devidas orientações sobre as eleições.Naquele momento, deixamos claro que a Igreja Metodista não apoia nenhum candidato ou candidata de maneira específica.

No dia 16/10, houve uma publicação nas redes sociais cujo título dá a entender que a Igreja Metodista moveu um manifesto contra um dos candidatos à presidência. O documento pede a adesão de outras pessoas.

Nos termos da carta pastoral, tal manifesto seria contrário à orientação dada pelo Colégio Episcopal sobre as eleições, se fosse um documento oficial.

Desta forma, seus signatários o assinam na qualidade de cidadãos, mas não em nome da instituição, pois seus autores não podem falar em nome da Igreja Metodista.

Esperamos que os pastores e pastoras também não se utilizem de sua função para induzir o rebanho a voto ou a posicionamento contra ou a favor de ninguém. Orientem suas ovelhas com sobriedade e espírito cristão. Neste tempo de debates intensos e muita controvérsia, também é parte de nossa tarefa a luta intensa pela manutenção da unidade da Igreja e do respeito cristão aos espaços da democracia.

Por fim, preocupa-nos o atual cenário, em que violência física, simbólica e verbal vem sendo perpetrada em nome de candidatos e partidos. Aí sim é nosso dever como corpo pastoral denunciar que nenhuma democracia sobrevive sem respeito ao próximo, a seu direito de opinião e à sua vida.

Não podemos estar entre os que propagam essa violência, seja verbalizando o desrespeito a quem pensa de modo distinto, seja na divulgação de notícias falsas ou mesmo no silenciamento diante das mortes e ataques que vemos nos meios de comunicação. Cristo não aceita partidarismos, exatamente por perceber que a corrupção não é algo inerente à política, mas ao seu humano. E a corrupção do amor, do respeito, da tolerância, da vida é tão grave quanto qualquer outro tipo que se evoque nesses tempos eleitorais.
“Haja paz (shalom) dentro dos teus muros e segurança nas tuas cidadelas!”  (Salmo 122.7)
“Mas a sabedoria que vem do alto é, primeiramente, pura, depois, pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade e sem hipocrisia. Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz.” (Tiago 3.17-18)

FONTE: http://www.expositorcristao.com.br/

 

 

 

 

A Alegria Que Deus Dá

A Alegria Que Deus Dá

Textos: Romanos 14:17 e I Samuel 30:6

Introdução:

Hoje é comum vermos pessoas desanimadas e esgotadas. São muitas as situações de vida que levam a isso, mas o importante não é saber o que pode nos esgotar e sim o que pode nos renovar, o que pode nos dar novamente a alegria de vida perdida, ou a energia para enfrentar a luta do dia a dia.

Na Bíblia temos o exemplo de pessoas e dicas bíblicas para isso. Davi foi uma das pessoas que passou por situações tristes e de esgotamento, mas que recobrou a alegria e força de viver. Olhando para a Bíblia descobrimos que:

1) O diabo vai tentar te esgotar, mas Deus te dá a força para vencer o mal de cada dia. 
Davi descobriu que apesar do mal de cada dia que era obrigado a enfrentar ele podia se reanimar em Deus. Você tem tido que enfrentar o mal de cada dia? Busque a força para isso em Deus. Se buscar a Deus Ele te dará força para vencer.

2) As lutas vão trazer medo e insegurança, mas em Deus encontramos proteção e suprimento.
Na história humana Deus sempre foi amparo e fortaleza para aqueles que buscaram refúgio Nele. Você tem procurado refúgio no que? Quer ter a proteção e suprimento de Deus? Busque refúgio Nele.

3) Deus nos dá paz e alegria.
Quando buscamos as coisas de Deus, quando nos dedicamos as coisas do Espírito de Deus, e quando entregamos nossa vida para que ele seja Senhor da nossa vida, nos tornamos participantes do Reino de Deus; e a bíblia diz que o Reino de Deus é paz e alegria no Espírito Santo. Quer ter alegria de viver e paz? Busque se tornar participante do Reino de Deus e Deus te dará.

 

Bispo Emanuel Siqueira
Bispo Presidente da 7ª Região Eclesiástica

O Que Deus Nos Propõe

 O Que Deus Nos Propõe

Texto: Deuteronômio 30:15-20

 

Introdução: O que você faria se alguém te propusesse uma vida onde você fosse bem sucedido profissionalmente; tivesse uma família abençoada com filhos abençoados; se desse bem em tudo o que fizesse e não tivesse que se preocupar com inimigos, pois estaria bem protegido? Você toparia uma proposta dessas? Poderíamos desconfiar de uma proposta assim, mas sabendo que é real provavelmente toparíamos.

A verdade é que essa proposta já foi feita; ela está registrada na Bíblia, no livro de Deuteronômio. Deus nos propõe o que relatamos acima, mas a maioria rejeita a proposta. Por que fazemos isso? Por que rejeitamos uma proposta tão boa assim?

Para aceitá-la precisamos:

 

1)Amar a Deus.

Talvez pensemos que isso é fácil, mas a Bíblia ensina que devemos amar a Deus em primeiro lugar, e aí reside a dificuldade, pois costumamos amar a nós mesmos em primeiro lugar. Não estamos acostumados a abrir mão do que queremos e desejamos de maneira voluntária, até cedemos quando somos forçados a isso, mas para termos a vida abençoada que Deus nos propõe precisamos aprender a amá-lo em primeiro lugar.

 

2)Dar ouvidos a sua voz.

     Não é só escutar, é levar a sério o que Ele diz. Nosso problema aqui é que não estamos acostumados a obedecer, na verdade não gostamos disso. Preferimos fazer o que quisermos, quando e como quisermos. Isso não é possível.

Para aceitar o que Deus nos propõe precisamos dar ouvidos a sua voz. Não basta falar que quer, é preciso obedecer a Deus.

 

3)Andar nos seus caminhos e segui-lo.

     Para que a proposta de Deus se torne uma realidade em nossas vidas às vezes demora um pouquinho, não por causa de Deus, mas por nossa causa. Precisamos ser tratados, curados e transformados e, às vezes, esse processo demora um pouquinho. Muitos não conseguem esperar ou não gostam do tratamento de Deus e desistem. Se quisermos a vida que Deus nos propõe precisamos perseverar em seguir a Deus.

 

 

Bispo Emanuel Siqueira
Bispo Presidente da 7ª Região Eclesiástica

Conhecedores de sua época para saber o que fazer.

Conhecedores de sua época
para saber o que fazer.

1 Crônicas 12:32

A época em que vivemos é classificada por alguns sociólogos como modernidade líquida; é um termo cunhado para tentar classificar as constantes e rápidas alterações sociais, a dificuldade de se manter valores absolutos do passado, de se manter os ¨marcos passados¨, modelos referenciais que se mantenham relevantes.

Vivemos numa época onde tudo está sendo reavaliado a partir da perspectiva e necessidade de indivíduos e grupos minoritários. Com o discurso de se ter uma sociedade inclusiva, a sociedade para todos, corremos o risco de montar uma sociedade de ninguém, sempre em tensão e reforma sem nunca concluir nada.

O texto de 1 Cônicas 12:32 diz que Davi possuía um grupo de estrategistas que eram conhecedores de sua época e, por isso, orientavam a Israel como proceder. Esse grupo, os da tribo de Issacar, fizeram de Israel um povo vitorioso em suas batalhas.

Precisamos hoje de líderes que possam orientar o povo de Deus com sabedoria e clareza para que sejamos vitoriosos(as) na tarefa de manifestar o Reino de Deus nessa época confusa.

Além de procurarmos entender a nossa época precisamos de líderes que:

1. Entendam Nossa história. Quais os valores que são inegociáveis? Qual nossa essência como cristãos e metodistas? Quais os nossos valores como herdeiros da reforma protestante? O que é negociável (forma) e o que não (essência)?

2. Entendam nossa Missão. Para que existimos como cristãos e metodistas? O que temos feito que não tem a ver com nossa missão e que deixamos de fazer que tem? Como cumprimos com excelência nossa missão nessa época?

3. Sejam fiéis as bases do seu chamado. Pessoas de caráter que renunciam a tudo para servirem a Deus e ao próximo (Lucas 14:33); que aborrecem sua própria carne e se negam para viver a glória Daquele que os chamou. Pessoas que ¨apascentam o rebanho¨ servindo de exemplo, não por sórdida ganância, mas de boa vontade (1 Pedro 5:1-3).

4. Sejam conhecedores do seu Senhor e fiéis a Ele e a sua Palavra. Precisamos conhecer a vontade de nosso Senhor e não nos desviarmos dela, nem tentar moldá-la segundo nossa conveniência. Precisamos manter uma vida de devoção e santidade como ministros(as) de Deus, sermos conhecidos(as) como homens e mulheres de oração e que manejam bem a Palavra da verdade, sem ter que se envergonhar.

5. sejam cheios(as) do Espírito e de fé. Precisamos de líderes que manifestem a vida o poder de Deus em suas ações, palavras orações. Líderes que, como Jesus, deem vista aos cegos, façam os coxos andarem, surdos ouvirem, tragam purificação, vida e esperança aos pobres.

Precisamos de líderes que vivam a Palavra de Deus e manifestem o Reino de Deus. Nessa época de modernidade líquida, teoria, filosofia e discurso não causam tanto impacto; a manifestação da vida, poder, valores e sinais do Reino de Deus sim.

Busquemos uma renovação espiritual para que nessa geração confusa saibamos o que fazer e sejamos bem-sucedidos(as) na tarefa de tornar o Senhor Jesus Cristo conhecido e adorado nessa geração.

Que o Espírito Santo nos faça uma geração de Pastores/Pastoras relevantes e úteis para a sua obra nessa geração.

Que Deus nos abençoe.

Bispo Emanuel Siqueira
Bispo Presidente da 7ª Região Eclesiástica

Como Deus te vê – Pastoral Julho

Como Deus te vê

Textos: Pv.23:7a

Introdução: Já está comprovado que a maneira como nos vemos influencia em nosso desempenho profissional, relacionamentos, nas nossas atitudes, escolhas e decisões; ou seja, a maneira como a pessoa se vê afeta a sua vida toda. A visão que temos a nosso respeito afeta até mesmo a nossa vida cristã e o nosso relacionamento com Deus.   É, fácil criar uma imagem distorcida de si mesmo se a construímos a partir do aspecto físico, do sucesso ou do que os outros falam sobre nós. A maioria das pessoas tem uma imagem distorcida de si mesmo; muitos depreciam-se, outros super valorizam-se. A verdade a meu respeito pertence a Deus, como então saber verdadeiramente quem eu sou ? Sabendo como Deus me vê. E como Deus me vê ? A Bíblia dá algumas pistas.

 1) Somos pecadores (Rm.3:23 e I Jo.1:10).

Tem pessoas que tem dificuldade em admitir que são falhas, que erram. A Bíblia ensina que todos pecaram, sem distinção.

Existem pessoas que se acham melhores que outros; também existem os que se acham piores do que os outros; as duas atitudes são erradas, diante de Deus todos estão na mesma condição: pecadores necessitados de Deus.

2) Somos amados por Deus (Jo.3:16)

Deus conhece muito bem os nossos erros mas mesmo assim nos ama. O amor de Deus não serve como argumento para permanecermos no erro pois Deus também é justo, mas, para quem quer abandonar o pecado, é muito bom saber que pode se achegar a Deus com sinceridade (sem mentiras, ou dissimulação) que não é rejeitado.

3) Pecadores arrependidos são vistos como filhos ( João 1:12 e II Pe.3:9b)

Nem todas as pessoas são filhos de Deus. Somente os que se arrependem e o aceitam como Pai (aquele que ama, educa e disciplina).

Bispo Emanuel Siqueira
Bispo Presidente da 7ª Região Eclesiástica

Três coisas que precisamos saber e fazer

Texto: Jeremias 29:11

O texto de Jeremias 29:11 diz que Deus tem para nós planos de paz e não de mal, para nos dar o fim que desejamos. Creio que todos, sem exceção, desejam um final feliz. A Bíblia diz que é isso que Deus deseja nos dar.

O fato é que não desejamos somente um final feliz, desejamos uma vida feliz, pelo menos a maioria deseja uma vida um pouco melhor. Para que a vida ao lado de Deus nos dê não só um final feliz, mas também uma vida melhor:

1)Precisamos ter um entendimento correto da vida cristã.

Muitos não têm uma vida melhor, mesmo ao lado de Deus, porque não tem um entendimento correto da vida cristã. Como entendem errado, agem errado e sofrem com isso. Quer viver melhor? Procure conhecer um pouco mais sobre Deus e Sua vontade. Procure alguém que o ajude a entender melhor. Seu líder de célula está aí para ajudá-lo nisso.

2)Precisamos buscar a Deus com a motivação correta.

Tiago 4:2-3 diz que não recebemos nada de Deus porque não pedimos e, que muitas vezes quando pedimos, também não recebemos, pois buscamos a Deus pelos motivos errados. Aqueles que buscam a Deus por motivos egoístas dificilmente terão uma vida mais tranqüila ao lado de Deus. Quer viver melhor? Busque a Deus com a motivação correta. Busque a Deus para conhecê-lo melhor, para aprender a amá-lo e obedecê-lo. Fazendo isso você começará a experimentar os planos de Deus para você e viverá melhor.

3)Precisamos agir corretamente.

Na vida cristã a atitude correta é sempre obedecer a Deus. Aprenda a obedecer a Deus sempre, quando você entende o porquê e quando não entende, quando é fácil e quando é complicado, quando leva vantagem e quando não parece vantajoso obedecer. Quer viver melhor? Obedeça a Deus sempre. E quando desobedecer arrependa-se, confesse e volte a obedecer. Faça o que Deus diz.

Bispo Emanuel Siqueira
Bispo Presidente da 7ª Região Eclesiástica

Testemunho: Um pouco da Amazônia!

A missionária do Projeto Sombra e Água Fresca (SAF) da Igreja Metodista, Emilly Everett, está a pouco menos de um ano no Brasil. Ela tem visitado alguns projetos do SAF pelo Brasil a fora para conhecer a realidade dos projetos e fazer a ponte entre Brasil e Estados Unidos em busca de parcerias. Durante o mês de abril, ela esteve acompanhando um grupo de voluntários americanos como tradutora de uma pediatra no Barco Hospital Metodista, em Manaus, na Região Missionária da Amazônia. confira o testemunho abaixo.

Em todos os anos que venho ao Brasil, devo confessar que nunca visitei o que é indiscutivelmente a região mais famosa do Brasil. Eu também devo admitir que até esta recente viagem, eu era completamente ignorante sobre isso. A Amazônia (ou Amazônia) é formada por 9 estados brasileiros e representa cerca de 42% do país. Dentro da Igreja Metodista Brasileira, a Amazônia é considerada uma região missionária. Um dos ministérios mais conhecidos da Igreja Metodista é o Barco Hospital Missionário, que serve as comunidades ribeirinhas indígenas ao longo do rio Amazonas. O barco sai de Manaus, no Amazonas, e opera entre março e julho de cada ano. Cada viagem atende aproximadamente 300 pessoas com cuidados médicos, odontológicos e ginecológicos muito necessários.

Na semana após a Páscoa, juntei-me a um grupo de 16 pessoas representando vários países, a Conferência Anual da Flórida e as Comunicações Metodistas Unidas que passaram 5 dias juntas no barco. Nós servimos em 3 aldeias diferentes ao redor da cidade de Autazes. Meu papel era servir como tradutora para um pediatra. Tive a sorte de brincar com as crianças. Mesmo em meio a longas horas e temperaturas altas, acho que nunca senti tanta alegria em uma semana.

Os povos indígenas que vivem ao longo do rio Amazonas são amplamente esquecidos no contexto político e social mais amplo do Brasil, tornando-os extremamente vulneráveis. Isso se deve em grande parte à sua localização (levamos 14 horas de barco para chegar a uma das comunidades que servimos), mas também à falta de transporte (eles literalmente dependem de barcos para tudo – até mesmo de “barcos escolares” que pegam as crianças ao longo do rio para a escola). Se precisarem de tratamento médico mais sério, pode levar horas para chegar ao município mais próximo com uma clínica ou um dia ou dois para chegar à capital, Manaus.

As comunidades ribeirinhas vivem à mercê do rio, que pode subir até 30 pés durante a estação das chuvas a cada ano. Alguns têm casas flutuantes, outros são construídos sobre palafitas e, ainda assim, algumas pessoas são obrigadas a deixar suas casas todos os anos e irem para terrenos mais altos, até que a água baixe e elas possam voltar para casa e começar tudo de novo. Isso obviamente torna extremamente desafiador para a infraestrutura local (como escolas) operar com regularidade. Para muitas dessas comunidades, o barco é o principal, se não apenas o atendimento médico local, possível para eles, mesmo que seja apenas algumas vezes por ano.

E mesmo assim, em meio às provações e dificuldades da vida, o sentimento avassalador que essas comunidades indígenas expressaram foi alegria, hospitalidade e gratidão. As famílias nos acolheram em suas casas (e pescaram os jacarés da janela da cozinha para que pudéssemos ver). Eles correram atrás do nosso barco quando estávamos saindo para nos trazer frutas de seus jardins e compartilhar abertamente sobre sua cultura e tradições. As crianças me lembraram que em qualquer fronteira, cultura ou idioma, o que nos une é a linguagem universal do riso e do brincar. Eles me ensinaram que Deus estava lá, muito antes de nós (ou os colonizadores portugueses) chegarmos e permanecermos lá muito depois de termos ido embora.

Os povos indígenas da Amazônia podem ser esquecidos por grande parte do Brasil e podem ser estrangeiros para o resto do mundo, mas nunca serão esquecidos por Deus. Eles também fazem parte da incrível criação de Deus e refletem a face de Deus de uma maneira que muitos de nós nunca esperariam ou imaginariam. Eles nos ensinam que Deus é muito maior do que jamais seremos capazes de compreender e, ainda assim, se importar intimamente com todos e cada um dos filhos de Deus, até os confins da terra.

Fonte: Expositor Cristão