Advento: Tempo de estudar a Palavra de Deus

Desde o último domingo de novembro estamos celebrando o Advento, período no qual comemoramos o anúncio do nascimento e a chegada do menino Jesus. É tempo de esperança, de paz e de preparar o coração para os sentimentos e emoções que advêm da manjedoura.

É tempo de preparar os momentos de convivência e celebração pelo Natal e pelo novo ano que se aproxima. O povo de Deus sempre realizou festas e celebrações para rememorar os feitos de Deus na Sua história, como a Páscoa (Êx 12.26-27). Para nós, o Natal é um desses eventos de importância, por nos rememorar a inserção de Deus na história humana, diretamente, por meio da encarnação (Jo 1).

No segundo domingo de dezembro, celebraremos também o Dia da Bíblia. Todos os dias, a Bíblia está ou deve estar presente em nossa vida (Sl 1 e Sl 119.105), pois ela nos fala sobre Deus (Os 6.3), sobre a família (Sl 128), sobre as coisas criadas (Gn 1 e Sl 19), sobre o Reino de Deus e a Sua justiça (Mt 5-7). A Bíblia apresenta o alimento diário para o sustento da fé (Dt 6), o aquecimento do amor (1Co 13) e a renovação da nossa esperança (Ap 1.1-9). Ela é o principal instrumento para a educação dos membros da igreja (Tt 2).

Muitos textos bíblicos destacam a importância da Bíblia para a vida de todos/as nós (Sl 1, Js 1.8, Sl 19.10 e Sl 119). O Salmo 1 diz que quem medita na Bíblia dia e noite é comparado/a às árvores plantadas ao lado das correntes de águas, ou seja, está sempre alimentado/a. Deus recomendou a Josué fazer o mesmo (Js 1.8) e assim encontrar a capacitação e a força necessárias para servir ao povo de Deus.

Já o salmista demonstra ter descoberto o lado delicioso e prazeroso da leitura e da meditação na Palavra de Deus: no Salmo 19.10 diz que as Palavras do Senhor são mais desejáveis do que o ouro e mais doces do que o mel. Os salmistas experimentavam seguidamente esta “delícia” que era a meditação e o estudo sistemático das Sagradas Escrituras. No Salmo 119, um deles (ou quem sabe, vários!) chega a fazer um acróstico usando as letras do alfabeto hebraico para falar da Palavra de Deus em todos os versículos.

O apóstolo Paulo fala que a Bíblia é boa para ensinar, corrigir, repreender, educar e capacitar as pessoas para as boas obras (2Tm 3.16-17). Vários outros textos nos orientam neste sentido (2Tm 3.16-17, Hb 1.1-2 e Mt 28.20). O Autor da Carta aos Hebreus (Hb 1.1-2) faz uma declaração muito relevante para o período do Advento: Deus falou no passado pelos pais e pelos profetas. Agora, Ele fala por meio de Jesus Cristo, o filho amado, que nasceu na manjedoura. Dentre as coisas faladas por Ele está a promessa eterna: “Eis que estou convosco!” (Mt 28.20).

O Advento e a Bíblia

A Bíblia é a “LÂMPADA para os pés e LUZ para o caminho” (Sl 119.105) e nos indica o caminho da paz, pois somos pessoas de boa vontade, a quem Deus quer bem (Lc 2.14). Advento, tempo de ler e ensinar a Bíblia. As pessoas que atuam na educação cristã em nossas igrejas têm a oportunidade de estudar e explicar as implicações dos valores que o nascimento de Cristo apresenta à humanidade e ajudar seus alunos e alunas a terem uma vida fundamentada nos valores que o Seu Evangelho apresenta.

Isso significa que como os pastores e magos receberam a instrução divina para procurar o Messias, Deus continua a nos chamar a conhecer a Salvação que vem de Cristo, cuja face nos é revelada nas Escrituras (Mt 2, Lc 2). Esta busca deve ser constante e crescente.

Educar de modo cristão é buscar o conhecimento oferecido pela Bíblia e, a partir da compreensão, desenvolver uma prática que evidencie a mensagem do Natal (Deus Conosco, para nossa salvação), que se faz presente em nosso viver diário.

Temos o desafio, neste Advento e Natal, de ler e compreender a mensagem bíblica que aponta para uma vida transformada e digna aos olhos de Deus e das pessoas de boa vontade. Há muita coisa para pensar. Há muito para fazer (Sl 119.105 e Lc 2.14)!

Josué Adam Lazier
Bispo Honorário da Igreja Metodista

Discípulas e discípulos nos caminhos da missão servem com integridade

O Colégio Episcopal da Igreja Metodista apresenta a pastoral orientadora para a reflexão e ação de cada metodista, em cada comunidade local, sob o tema do ano: “Discípulas e discípulos nos caminhos da missão servem com integridade”.

Nesta pastoral, descrevemos aspectos importantes da integridade, seu conceito no contexto do tema e como construir a integridade à luz dos valores e princípios da Palavra de Deus e de sua prática em nossos tempos atuais. Recomendamos seu estudo em grupos, nas classes de Escola Dominical, nos cursos de preparação de líderes, em ministrações baseadas nela para cultos e encontros diversos da vida da Igreja Metodista em terras brasileiras.

Em tempos de fragmentação, de crises diversas, desde aspectos de nossa economia e cultura, passando pela influência das tecnologias atuais, abalos políticos que afetam pessoas, famílias e cidades, questionamentos acerca de todas as bases que compõem o humano e as sociedades, o tema da integridade se faz relevante para nós. Nesse sentido, perguntamos pela integridade do serviço que prestamos, recordando, entre outros textos, o sermão “Discurso ao Clero”, no qual Wesley, falando aos pastores de sua época, também hoje nos questiona, tanto no corpo pastoral quanto no corpo laico da Igreja, acerca dos motivos que nos levam a servir. Discernir, arrepender-nos e redirecionar nossas motivações mais interiores quando se trata de servir a Deus e ao próximo, à proxima são prerrogativas inadiáveis para um povo que anseia vivenciar um discipulado autêntico, bíblico e em santidade.

Que Deus abençoe sua leitura e prática a partir desta pastoral!

Colégio Episcopal da Igreja Metodista
CLIQUE ABAIXO PARA FAZER DOWNLOAD DO DOCUMENTO COMPLETO

Fonte: Expositor Cristão

Novembro Azul: o que é o exame de PSA para câncer de próstata

PSA é a sigla para Prostate-Specific Antigens, ou antígenos específicos da próstata em português. O que são esses tais antígenos? Tratam-se de moléculas produzidas por essa glândula, inclusive quando ela está saudável. O que muda, na verdade, é a quantidade de PSA em circulação quando algum homem apresenta um câncer de próstata, por exemplo. Daí veio a ideia dos especialistas: fazer um exame para medir a concentração dessa partícula no sangue para verificar a presença dessa e de outras doenças.

Para que serve o exame de PSA

Para detectar precocemente casos de câncer de próstata e outras condições, como a hiperplasia prostática benigna e a prostatite. O PSA é solicitado no início das investigações médicas. Outros exames complementam o diagnóstico, como o toque retal.

Aliás, o toque retal – ainda cercado de preconceitos bobos – não seria indicado para o rastreamento inicial do câncer de próstata, mas é frequentemente pedido por ser rápido e barato. Converse com um profissional para avaliar o seu caso especificamente.

Como o teste é feito

Uma amostra de sangue é colhida e enviada ao laboratório para análise. No geral, os médicos pedem a medição do PSA total, mas podem também requisitar a quantidade de PSA livre – ou seja, a quantidade que não está ligada à nenhuma proteína, se houver alterações nos resultados.

Recentemente, chegou ao Brasil o Prostate Health Index (PHI), ou Índice de Saúde da Próstata. Ele usa uma terceira fração do PSA para fazer um diagnóstico mais certeiro e reduzir a necessidade de biópsias.

Os resultados

O PSA total é considerado normal quando está em até 2,5 ng/ml. Se varia entre 2 e 10ng/ml, o médico pode pedir o PSA fracionado para avaliar melhor o quadro.

Mas atenção: a taxa de PSA no corpo aumenta naturalmente com a idade. Fora que alguns casos de câncer sequer apresentam alterações significativas nos níveis da molécula. Em outras palavras, a interpretação do resultado deve ser individualizada.

Periodicidade

O Ministério da Saúde e o Instituto Nacional de Câncer (Inca) não recomendam que o exame de PSA seja utilizado para rastreamento populacional do câncer de próstata. Isso porque, às vezes, ele acusa um câncer maligno que, na verdade, não está lá. Ou apenas detecta quadros benignos, que não exigiriam biópsias agressivas na sequência.

Agora, isso não quer dizer que esse teste é uma porcaria. Pelo contrário. O que se preconiza é consultar um médico para que ele determine a necessidade de fazer o exame (e a regularidade) de acordo com particularidades de cada paciente.

Indivíduos com histórico familiar de tumores na próstata, por exemplo, começam a ser monitorados geralmente a partir dos 40 anos. Homens negros via de regra também merecem atenção especial.

O fato é: quando adequado a cada paciente, o teste de PSA pode ajudar muito.

Cuidados e contraindicações

Qualquer intervenção na próstata pode aumentar o nível de PSA em circulação. O próprio toque retal provoca alterações que interferem nos resultados, assim como a biópsia, a realização prévia de colonoscopia e até uma ejaculação recente. Portanto, é crucial seguir as orientações de preparo para o exame e, se for o caso, refazer a avaliação. O ideal é colher o PSA antes de outros testes.

Fontes: William Pedrosa, endocrinologista do Grupo Hermes Pardini, em São Paulo, e nota técnica 001/2015 do Instituto Nacional do Câncer.

Ação social e a oração: um ritual de espiritualidade

À Luz do texto do Evangelista Marcos, procuramos relacionar que toda ação social identificada a partir da fé cristã prescinde de um lugar de cultivo de uma espiritualidade encarnada no cotidiano de nossas ações pessoais e institucionais.

Para João Wesley, assim como as primeiras gerações de metodistas, o desejo de fazer a vontade de Deus e a busca da santidade se refletiam na espiritualidade pessoal e comunitária em que o princípio para as transformações sociais eram ações concomitantes com a prática da espiritualidade cristã, notadamente da oração, do jejum e do estudo das escrituras.

Hoje, em tempos de pós-modernidade, em uma sociedade líquida marcada pela flexibilidade e inconstância, refletidas na pluralidade de expressões religiosas dentro dos mesmos pressupostos básicos, a oração cristã, enquanto tal, necessita de definições e formas de expressão que sejam mais coerentes com o sentido presente na tradição bíblica e na tradição apostólica.

Em nossos tempos, a oração tem tido a conotação de um carisma exercido por determinada pessoa, cuja finalidade seja a interferência divina nas questões mais variadas de interesse pessoal. Considerando esta perspectiva: a finalidade da oração é determinada pela necessidade pessoal de quem a busca; e a sua eficiência é determinada pelo carisma pessoal de quem a realiza. Assim, a oração é tomada como uma forma de mediação; ou como exercício de um poder individual.

O texto bíblico do evangelista Marcos (9.33-35) coloca-se entre dois fatos significativos: o relato da discussão entre escribas e alguns/as discípulos/as sobre a grave enfermidade de uma criança. O tema é sobre o direito à vida de uma criança ameaçada por um mal que traz riscos à sua integridade física.

Sabemos que a vida das crianças é sinal evidente da presença do Reino de Deus entre nós. Quando Jesus liberta a criança do que atenta contra a sua vida, os/as discípulos/as perguntam: Por que nós não podemos expulsar esse mal (demônio)? A resposta é porque as forças que atentam contra a vida precisam ser enfrentadas com ações, jejum e oração.

Oração tem relação com a libertação de tudo quanto impede a vida humana e principalmente as nossas crianças de viverem plenamente. Jesus ensina que a oração nos conduz à tolerância e à ação social solidária, ecumênica. “Vimos alguém em teu nome expulsando demônios, mas que não nos segue”, denunciaram os/as discípulos/as.

Para espíritos armados, arrogantes e intolerantes, contra quem não anda conforme os seus passos, Jesus mostra que o seu nome não deve ser razão para os nossos estranhamentos e discriminações. O nome de Cristo é instrumento, potencializado pela oração, à libertação e comunhão, para que a vida se manifeste de forma plena aos filhos e filhas.

Outra razão no texto é a discussão sobre o poder: sobre quem é maior ou quem é melhor. Sobre as diferenças que nos separam; que escondem pretensões de poder. Wesley em suas notas sobre o NT refere-se à criança em idade e criança no coração.

Ao colocar uma criança no meio dos/as discípulos/as, põe fim a uma discussão inadequada àqueles/as que pretendem ser seus/as seguidores/as, ontem e hoje. Jesus mostra que a vida expressa nas suas condições mais frágeis é a força da unidade da Igreja, e a disposição para participar dessa unidade é o compromisso com esta vida. Quem é maior é quem serve; e se todos/as estão a serviço desta causa, não haverá nem maiores nem menores. Este é o pressuposto básico da ação social cristã na sociedade: serviço.

Portanto, é da natureza da oração o fortalecimento da unidade em torno de Cristo e do Seu Reino; e de nossas ações na defesa da vida e na transformação da sociedade. Portanto, o carisma de todo o Corpo de Cristo, de toda a Igreja é estar a serviço da vida humana, especialmente de nossas crianças mais desassistidas e mais fragilizadas socialmente.

Nossa ação social deve priorizar a transformação da sociedade a favor da vida de todas as crianças, orando e agindo.

Bispo Luiz Vergílio Batista da Rosa

Sua igreja engajada na Campanha Outubro Rosa

A Igreja Metodista no Brasil tem apoiado diversas campanhas nacionais relevantes para sociedade, incentivando as igrejas locais a serem espaços de esclarecimento, debate e apoio para comunidade. Durante o mês de outubro, a organização apoia a mobilização pela prevenção do Câncer de Mama.

O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) lança anualmente as informações necessárias para quem deseja ajudar nessa luta.

O controle do câncer de mama é prioridade da agenda de saúde no Brasil. A perspectiva atual do Sistema Único de Saúde é impulsionar a organização das redes regionalizadas de atenção à saúde para garantir a detecção precoce, a investigação diagnóstica e o tratamento oportuno, reduzindo o número de casos de doença avançada e a mortalidade pela doença. A prevenção deve ser também valorizada por meio da informação e de oportunidades para a adoção de práticas mais saudáveis.

Acesse o folheto completo do INCA para mais informações.

Fonte: Expositor Cristão

Nota de Falecimento – Rev. Ananias Lúcio

Alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram; Romanos 12:15

Comunicamos o falecimento do nosso amado Rev. Ananias Lúcio da Igreja Metodista Central em Barra Mansa.

O ofício fúnebre acontece nesta segunda-feira (16/10) na Igreja Metodista Central em Barra Mansa a partir de 14h. O sepultamento as 16h na mesma cidade.

Nossas orações estão com os familiares e amigos. Que o Senhor os fortaleça e console seus corações.

Sede Regional da Igreja Metodista 7ª Região Eclesiástica

Federação de Jovens da 7ª Região organiza Conferência Jovem 2017

A Federação Metodista de Jovens (FEMEJO) da 7ª Região Eclesiástica organiza a Conferência Jovem 2017, que acontecerá no Sítio John Wesley na cidade de Teresópolis (RJ), entre os dias 17 e 20 de novembro. A organização do evento prevê que o encontro seja realizado ao final de cada biênio a partir desse ano. A primeira edição contará com minicursos, palestras, ministrações, pregações e as plenárias que decidirão o futuro da FEMEJO 7ª RE para o biênio 2018/2019.

As confirmações de quem participará da Conferência serão divulgadas através da página oficial do evento e das redes sociais com a hashtag #ConferênciaJovem2017. Já foram confirmadas a participação das cantoras Luma Elpídio e Paola Carla, além do Ministério Átrios. O Bispo Emérito Paulo Lockmann será um dos palestrantes.

Entre os objetivos do encontro, o grupo planeja alcançar a unidade entre os jovens metodistas da região. “Estamos na expectativa de atingir 150 jovens nessa conferência. O tema a ser desenvolvido nessa conferência será o “SER”. Vamos discutir o que fomos chamados a ser. O que temos sido como juventude, o que mundo espera que sejamos e o que seremos a partir da Conferência”, explica o presidente da Federação, Tiago Glaser.

Informações:

Data: 17 a 20 de novembro de 2017
Local: Sítio John Wesley
Endereço: Rodovia BR-116, Km 40, s/n – Água Quente – Teresópolis – RJ

Valor da Inscrição R$185,00
Inscrição + Transporte R$265,00
*Preços especiais para grupo com mais de 5 pessoas

Para saber mais sobre a nossa conferência é só acessar esse site:

https://atasfemejo7re.wixsite.com/conferenciajovem7re

Igreja Metodista em Las Vegas emite pronunciamento sobre ataque

Os líderes da Igreja Metodista em Desert Spring, Las Vegas, ainda estavam esperando em 2 de outubro para saber se algum membro da congregação estava entre os feridos ou mortos da cidade. Mas, mesmo que sem fôlego, os líderes da igreja estavam segurando uma mão amiga.

“Estamos nos tornando um parceiro para a resposta da comunidade maior”, disse o reverendo David Devereaux, o pastor sênior da congregação. “Nós podemos fornecer abrigo; podemos fornecer comida; podemos fornecer água; podemos fornecer suprimentos para bebês “.

Depois de fugir do que se chama do maior tiroteio de massa na história moderna dos EUA, muitos sobreviventes ficaram presos sem nenhuma maneira de voltar para seus quartos de hotel bloqueados. Mesmo quando os bloqueios do hotel foram suspensos, Desert Spring estava se preparando para ajudar pessoas que enfrentavam vôos revirados e muito mais traumas a longo prazo.

A igreja também estava preparando um serviço de oração noturna. “Vamos orar pelas vítimas, os feridos e pelas famílias e entes queridos que foram tão impactados”, disse Devereaux. “Nós também estaremos orando por todas as pessoas que oferecem resposta de emergência e pelos profissionais médicos que agora estão realmente carregando uma grande carga”.

O bispo Robert T. Hoshibata lidera a Conferência Desert Southwest que engloba Las Vegas, e pediu aos membros da igreja que orem, mas também os convidou para agir, inclusive lendo as Escrituras, como o Salmo 130: 1-6. “Como seguidores de Cristo que são chamados a amar todas as pessoas, no recolhemos diante dessas mortes violentas e sem sentido”, escreveu o bispo. “Para nos ajudar através de um tempo de coração pesado como este, quando nossos espíritos se afundam com desespero e raiva sem esperança, nos voltamos para a Palavra de Deus e elevamos nossas orações a Deus por esperança e cura”.

Foram pelo menos 58 estão mortos e 515 feridos depois que um homem armado no 32º andar de um cassino Strip, desencadeou uma tempestade de balas em um show de música country ao ar livre em 1 de outubro. O atentado do ano passado à discoteca Pulse em Orlando, Flórida, deixou 49 pessoas mortas. Fred Rogers, o anfitrião da televisão infantil e pastor presbiteriano, aconselhou o seu jovem público que, quando confrontados com notícias assustadoras, “olhem para os que ajudam”. Os Metodistas Unidos estão entre aqueles que ajudam.

Devereaux já tem notícias de membros da Desert Spring que esperaram na fila por mais de quatro horas para dar sangue às pessoas que precisam. Sua igreja, que equivale a cerca de 829 membros, planeja manter sua própria força de sangue nas próximas semanas. Pam Simon, outro Metodista Unido na Conferência Desert Southwest, compartilhou que será necessária ajuda. Simon, que morava em Tucson, Arizona, sobreviveu ao tiroteio em massa fora do supermercado da área de Tucson que feriu gravemente o ex-representante dos EUA, Gabby Giffords.

Nos anos seguintes, Simon se conectou com outros sobreviventes e defendeu incansavelmente a prevenção da violência armada. Simon adverte que as pessoas que sofreram violência, não importa a sua natureza, podem sentir um trauma de novo com as notícias de Las Vegas.

“Nós pensamos que haverá um ponto de mudança, mas a maioria dos movimentos neste país e em todo o mundo não se comovem com um evento”, disse ela. “É uma espécie de moagem lenta de vozes sendo levantadas até que eventualmente haja mudança”. A Revda. Susan Henry-Crowe, principal executivo da Junta Metodista Unida de Igreja e Sociedade, ecoou esse sentimento convidando seus colegas de igreja a trabalharem para evitar tais tragédias.

“Cristo nos chama a ser pacificadores, e é por isso que – junto com nossas orações – devemos trabalhar para acabar com a violência armada”, disse ela em comunicado. “Não fazer nada é ser cúmplice neste terror aparentemente interminável, agarrando nossas comunidades”. Ela apontou para uma resolução Metodista Unida que exorta os membros da igreja a defender em todos os níveis leis e procedimentos que previnam e reduzam a violência armada. O site da agência oferece formas de agir.

O Distrito Norte da Conferência Desert Southwest, que inclui Las Vegas, compartilhou uma oração em sua página do Facebook que ressoará com muitos Metodistas Unidos. “Que a paz de Cristo vença e dê calma, força e esperança às vítimas, a seus familiares, amigos e os que trabalham na emergência”.

Por Heather Hahn
Publicado originalmente no site da UMC